A Decisão É Sempre Sua

A Decisão É Sempre Sua


Querido amigo e querida amiga,

Um dia, quando eu caminhava por uma praça, não pude deixar de observar um homem, adulto, de meia idade e aparentemente saudável.

Ele estava sentado num banco, e quando me aproximei, percebi que ele estava com o olhar fixo, sem nenhum brilho e olhando para lugar algum, praticamente sem piscar.

Apenas compenetrado no vazio, parecia estar precisando de ajuda.

Sentei-me ao seu lado, e ele, sem ao menos me dizer um “oi”, começou a falar, com voz baixa e claramente com um nó enorme na garganta. Parecia que alguém estava com as mãos em seu pescoço, asfixiando-o.

Estava tão angustiado e a ponto de fazer o pior.

A sensação é que eu precisava estar lá naquele momento…

Então, ele começou a descrever a vida dele para mim…

Ele ouviu palavras de humilhação e ódio da boca daqueles que ele mais amava, daqueles que eram exemplo para ele, daqueles que ele tomava como maior referência de sua vida…Os seus pais.

E eles nem se deram conta do que poderia vir a acontecer com a vida do seu filho, explicava aquele homem.

Ele se tornou um adolescente quieto, introspectivo, tímido, medroso e inseguro. Devido a isso, sempre sofreu bullying na escola.

Sempre foi o último a entregar as provas…


Não entendia o porquê de muitas coisas...

Estava sempre isolado…


Sempre distante de seus colegas,

E muito distante dos seus pais…

Não queria se relacionar com ninguém…

A solidão profunda bateu em sua porta e o encontrou! E ele a abraçou…


Ele repetia diversas vezes, a cada duas frases, que ele foi muito humilhado em sua infância...

E viveu uma vida de dores profundas, muitas mágoas e decepções.

Ele já não tinha contato com os seus pais há muito tempo, e eles também não o procuraram…


Esse vazio na vida dele, onde as feridas se tornaram enormes, foi preenchido com uma depressão.

Naquele momento, ele queria se livrar daquela dor. Estava prestes a desistir de viver.

Mas, aquele desabafo fez com que ele olhasse para o lado e visse que existia alguém para ouvi-lo.


E o que vemos nos dias de hoje, é que esse cenário de traumas da infância, que depois tornam-se bombas atômicas nas mentes das pessoas, está cada vez mais comum.

Infelizmente, os pais erram ao colocar suas emoções à frente quando abordam seus filhos.

Imagine as pessoas que você mais admira na vida lhe dizendo palavras ruins, agindo impulsivamente e sem controle.

Se você é pai, mãe, ou simplesmente precisa ler isso, por favor...

Não biografe sua história e a dos seus filhos de maneira inadequada quando você experimentar as emoções mais angustiantes….

Seja gestor e gestora de suas emoções para ensinar os seus filhos e aqueles que você mais ama a serem gestores de suas emoções...

Um simples gesto, um simples olhar pode mudar completamente o rumo de uma história, mesmo que ela pareça não ter solução.

Pense nisso!

Um forte abraço,

Boa semana!