Hiperatividade‌ ‌Infantil‌ ‌e‌ ‌TDAH‌ ‌—‌ ‌Como‌ ‌Ajudar‌ ‌ Crianças‌ ‌Hiperativas?

Hiperatividade‌ ‌Infantil‌ ‌e‌ ‌TDAH‌ ‌—‌ ‌Como‌ ‌Ajudar‌ ‌ Crianças‌ ‌Hiperativas?

Olá, meu querido amigo e minha querida amiga.

A hiperatividade infantil e o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade) são problemas que podem tirar o sono de muitos pais. Afinal, até que ponto é normal a criança ser agitada e cheia de energia? Quando buscar ajuda?

Para garantir que os pequenos cresçam de forma saudável, é importante saber o que fazer se eles estiverem nessas situações. Leia este artigo que eu preparei para você!



O que fazer em caso de hiperatividade infantil e TDAH?

Antes de mais nada, é importante entender se a criança apresenta um quadro de hiperatividade infantil. Já falei um pouco aqui sobre o que é TDAH e quais são os sintomas, então, isso pode ajudar você nessa identificação.

Caso perceba que seu filho tem esse problema, o ideal é buscar auxílio o quanto antes. Embora a hiperatividade não tenha uma cura definitiva, ela tem tratamento, o que pode trazer muito mais qualidade de vida.

Por meio do acompanhamento profissional, é possível, por exemplo, melhorar a capacidade de concentração das crianças. Devido à fase escolar, isso é essencial, já que pode definir o aprendizado, além da socialização.


Como garantir uma boa convivência com crianças hiperativas?

Existem algumas práticas que são aconselhadas para as famílias que têm criança hiperativa. Veja só:


Incentivar a rotina

Uma das características da hiperatividade é não manter a disciplina. As crianças com TDAH têm uma dificuldade acima do normal para terminar tarefas.

Por isso, é interessante que a família mantenha a rotina. Você pode, até mesmo, usar um calendário para mostrar à criança o que deve ser feito em cada dia, como ir para a escola, visitar os avós, etc. Isso irá ajudá-la também a se programar para cada evento.



Ter paciência

Assim como a ansiedade e outros transtornos relacionados com a mente, a hiperatividade não pode ser responsabilizada. Ou seja, não adianta repreender uma criança, apenas porque ela não consegue se concentrar ou agir igual as outras.

Nesse sentido, o ideal é que as famílias trabalhem a gestão da emoção para que possam ser pacientes e oferecer o porto seguro que os pequenos precisam.



Estimular atividades

Atualmente, por falta de tempo, muitos pais deixam os filhos mexerem no celular, sem qualquer restrição. Ainda que a tecnologia tenha diversos benefícios, já foi constatado que o excesso dela não faz bem.

Aliás, a grande quantidade de informações que a gente tem é uma das principais responsáveis pela Síndrome do Pensamento Acelerado, transtorno que eu tive a infelicidade de descobrir.

Então, se você quer melhorar a vida do seu filho, ofereça a ele outras atividades e até deixe-o com tempo livre. As crianças não precisam estar sempre ocupadas ou consumindo informação, elas podem praticar esportes, ler, brincar, criar histórias, descansar e muito mais.

Gostou desse conteúdo? Leia ainda sobre como a gestão da emoção ajuda quem tem hiperatividade!