Liderança — Conduza Sua Vida e Seja Um Exemplo Para os Que Te Cercam

Liderança — Conduza Sua Vida e Seja Um Exemplo Para os Que Te Cercam

Olá, meu querido amigo e minha querida amiga!

Quando as pessoas pensam em liderança, elas lembram daqueles que fazem os outros agirem de determinada forma, como gestores, pais e professores. Porém, o verdadeiro ato de liderar não começa ao guiar outras pessoas, mas, sim, a própria mente.

Responda com sinceridade: você acredita que é líder de si mesmo? Neste artigo, você vai entender qual é a sua situação atual e, se for o caso, como atingir a liderança e se tornar autor da própria história!


O que significa ter a liderança da própria vida?

Você tem medo de falar em público e sente insegurança para se posicionar no seu dia a dia? Caso a resposta seja afirmativa, então, você não tem liderança da própria vida, pois ainda não é o gestor da sua psique.

Ser líder de si mesmo significa se enxergar e entender as próprias emoções. Somente assim é possível se proteger das armadilhas da mente e assumir o controle da própria história.

Para entender melhor esse sentimento, é importante você conhecer a sua própria história. Caso você tenha sido reprimido durante a infância, por exemplo, isso pode ter feito você fechar-se em um "casulo”.

Essa vivência foi armazenada na sua mente, acionada em situações semelhantes, fazendo com que você se sinta reprimido como foi na infância. Se esse sentimento não foi tratado, ele pode estar presente na sua vida até hoje.

Para as pessoas que são líderes de si mesmas, essa situação seria encarada como apenas uma lembrança, algo natural, que foi importante para o amadurecimento das emoções.

Porém, para alguém que não tem essa liderança, o resultado é outro — pode despertar sentimentos como ansiedade, depressão e angústia. Dessa forma, isso ilustra uma situação vivida por alguém que não é autor da própria história.



Como atingir essa liderança e se tornar autor da própria mente e história?

Em uma situação como a do exemplo anterior, quando o “eu” não é bem treinado, ele se torna escravo deste e de outros fenômenos da memória. O resultado é uma pessoa ansiosa, sem controle da própria mente, que costuma agir por impulso e que não escreve o roteiro da própria vida.

Quem tem timidez em um nível médio ou de alta intensidade, por exemplo, pode asfixiar qualidades importantes, como ousadia, capacidade inventiva, capacidade de lidar com perdas e frustrações, além de lutar pelos sonhos.

Para pessoas que não se sentem líderes da própria vida, existem algumas ferramentas que podem ajudar.

Uma delas é a DCD (Duvidar, Criticar e Determinar). É preciso duvidar de tudo o que controla você, criticar as ideias perturbadoras — como o medo do que os outros vão pensar — e determinar estrategicamente como superar tudo isso e ser mais feliz.

Quer entender melhor como funciona o DCD e como funciona essa ferramenta para a liderança? Então, conheça o curso de Gestão da Emoção, em que há essa e outras ferramentas voltadas para o autoconhecimento.