Nunca coloque pontos finais

Nunca coloque pontos finais


Você sabia que as pessoas que têm atos suicidas não querem de fato matar a vida? Sim! Elas querem matar a dor. Querem acabar com o autoabandono, matar seus fantasmas mentais, querem se livrar do lixo mental e da culpa que carregaram durante anos. Dentro dessas pessoas há uma fome e sede de viver!

Talvez você não saiba, mas infelizmente estamos vivenciando a maior epidemia de suicídios de todos os tempos. O mundo se tornou um manicômio global, onde o normal é ser irritadiço, e não uma pessoa serena.

O normal é ser ansioso, sofrer por antecipação, ter dificuldade de conviver com pessoas lentas, problemas de sono e de concentração. O anormal é ter uma mente livre, viver com serenidade, ter boas noites de sono e conseguir aproveitar a vida.

Sendo assim, muitas pessoas acabam pensando em colocar pontos finais na sua existência. A cada 4 segundos alguém tenta tirar a própria vida. Infelizmente, a cada 40 segundos, uma dessas tentativas é bem-sucedida, e uma criança, jovem ou adulto morre pelas próprias mãos. É impossível ficar calado ou inerte diante deste drama que está ocorrendo no teatro da humanidade!

É nesse contexto que se passa a história do meu vigésimo quarto livro: O Vendedor de Sonhos. Há livros que saem do cerne do intelecto; outros saem das entranhas da emoção. Esse é um livro que saiu dos recônditos desses dois espaços.

O personagem principal é dotado de uma ousadia sem precedente. Ele esconde muitos segredos. Nada, ninguém consegue controlar seus gestos e palavras, a não ser sua própria consciência. Todos querem uma vida regada a emoções borbulhantes, mas onde encontrá-las em abundância? Em que espaço da sociedade tais emoções se encontram?

Alguns pagam muito dinheiro para consegui-las, mas vivem angustiados. Outros se desesperam em busca de fama e reputação, mas morrem entediados. Na contramão da massacrante rotina social estão os personagens deste romance, que com muita alegria compartilho com vocês que acaba de se tornar uma belíssima peça de teatro!

Essa é uma peça que fala sobre o amor pela vida. Ela mostra que cada ser humano pode e deve escrever os capítulos mais importantes da sua história nos momentos mais difíceis de sua existência.

O Vendedor de Sonhos pode ser cada um de nós, cada ser humano que decida propagar a importância de aprendermos a colocar vírgulas, e não pontos finais, nas situações trágicas de nossas vidas. Conto com vocês nessa incrível jornada!