Pensamento Acelerado — Quando Ele Se Torna Um Problema?

Pensamento Acelerado — Quando Ele Se Torna Um Problema?

Olá, meu querido amigo e minha querida amiga.

É provável que você já tenha visto eu falar aqui ou em outros canais do pensamento acelerado. Ao contrário do que o nome sugere, essa alteração não é um sinal de inteligência. Ou seja, quem pensa muito rápido não tem, necessariamente, um raciocínio mais apurado.

Na verdade, o pensamento veloz pode indicar um alto nível de estresse e até dificuldades de concentração. Eu tive o privilégio e a infelicidade de descobrir essa síndrome e, por isso, hoje posso ajudar você a evitar que ela se torne um problema na sua vida. Continue a leitura para entender melhor!


Quando o pensamento acelerado começa a ser um problema?

Durante a nossa vida, aprendemos que pensar rápido indica inteligência. Talvez você até se lembre de ter que responder em poucos segundos às perguntas dos seus professores, certo?

Realmente, saber avaliar algo e elaborar uma resposta de forma rápida é algo positivo. No entanto, é preciso tomarmos cuidados como a forma com que enxergamos o pensamento acelerado em excesso.

Por exemplo: uma pessoa que tem essa síndrome, em vez de se concentrar para fazer uma tarefa, ela pode já estar pensando na próxima e até no que irá fazer no dia seguinte.

Em outras palavras, a aceleração da mente faz com que o indivíduo pense em diferentes acontecimentos, hipóteses e momentos — e tudo isso sem controle.

Isso já aconteceu com você? É possível que sim. Até porque, a forma como se vive hoje condiciona a ter esse comportamento, ainda que não seja intencional.

O uso excessivo do celular, como eu pontuei várias vezes, tem feito com que as pessoas percam a noção do tempo e espaço, fazendo com que a mente trabalhe demais, gerando mais estresse e ansiedade.

Então, quando falamos em pensamento acelerado, não estamos tratando de raciocinar e ter ideias brilhantes em poucos segundos. Na verdade, a síndrome representa uma mente desgovernada que não consegue parar, nem nos momentos de lazer e descanso.


Como a gestão da emoção pode ajudar a desacelerar os pensamentos?

Desde pequenos, aprendemos a nos comportar, a ler, escrever, fazer cálculos matemáticos e até as capitais dos países, porém, não somos treinados para gerir as emoções. Ainda que seja um tema individual, todos os seres humanos sentem os mesmos sentimentos, como amor, medo de morrer e angústias.

Então, por que não aprender a administrar esse turbilhão de sentimentos que estão presentes na mente? São eles que, quando desordenados, levam ao pensamento acelerado, o que faz com que o estresse e a ansiedade dominem.

Na Academia da Gestão da Emoção, você irá aprender diferentes ferramentas para não se deixar levar pela sua mente e ser, de fato, o autor da sua própria história.

Uma delas é o DCD (Duvidar, Criticar e Determinar). Quando você estiver concentrado em algo e se lembrar de um evento do passado, por exemplo, é importante que se questione por que esse pensamento veio à toa, critique o surgimento dele e determine focar no que você está fazendo.


Além disso, para ajudar a desacelerar é possível:


  • evitar o excesso de informações. Caso você esteja assistindo à televisão, não precisa usar o celular. Opte por um entretenimento de cada vez;

  • diminuir o ritmo de compromissos. Será que você precisa ser uma pessoa tão produtiva? Lembre-se de que o descanso é essencial até para trabalhar melhor, sem contar que ele ajuda na saúde e no bem-estar;

  • fugir da tecnologia. Você não precisa estar o tempo todo na internet, pois há uma vida incrível te esperando no mundo offline.


Quer saber mais sobre como a gestão da emoção pode ajudar você? Conheça agora os cursos da Academia da Gestão da Emoção!